Revista Parágrafo recebe trabalhos para Dossiê “Jornalismo, Liberdade de Expressão e Censura: 50 anos depois do AI-5”

A Revista Parágrafo está recebendo, até o próximo dia 28 de outubro, artigos para o dossiê “Jornalismo, liberdade de expressão e censura: 50 anos depois do AI-5”. A estimativa para publicação é dezembro de 2018.

O objetivo do dossiê é reunir artigos que examinem as relações entre o jornalismo e os contextos sociais e políticos urdidos em circunstâncias autoritárias, com ênfase no período do regime militar (especialmente a partir da promulgação do AI-5), mas também com ampliações para paralelos com situações atuais.

A submissão deve ser feita pelo sistema da revista que pode ser acessado aqui. As normas para submissão estão disponíveis aqui. Os editores convidados para essa edição são Eliza Bachega Casadei (ESPM) e Ivan Paganotti (FIAM-FAAM). A Parágrafo aceita artigos de temáticas livres, relacionadas ao jornalismo, em fluxo contínuo.

Serão privilegiados trabalhos do campo de estudos jornalísticos que relacionem o contexto político e social do regime militar com teorias, práticas e ações jornalísticas do período. Esse tema também abriga outros desdobramentos como comparações com situações atuais de contextos autoritários que remetam ao dever de memória e ao direito ao esquecimento.

Podem ser abrigados nesse dossiê temas tais como: o relacionamento entre jornalismo e história em contextos autoritários, censura, liberdade de expressão, dever de memória e atividade jornalística, historiografias da imprensa na ditadura militar, cerceamentos de liberdade de imprensa, estudos de jornalismo em contextos autoritários, entre outros.

Revista Memorare recebe artigos sobre “Televisão, Redes Convergentes e Lugar da Memória”

A Revista Memorare está recebendo até o próximo dia 31 de setembro trabalhos para o Dossiê intitulado “Televisão, Redes Convergentes e o Lugar da Memória”. O dossiê reunirá pesquisas que apresentem ponderações inéditas sobre o meio televisivo, as redes de convergências e o papel das rememorações diante dos processos midiáticos.

Os textos devem ser enviados para marioabelbj@gmail.com ; cristiane.finger@pucrs.br; ou frcadima@gmail.com conforme as normas da revista que podem ser acessadas aqui.

O dossiê objetiva discutir reflexões teórico-práticas acerca da televisão como meio de comunicação convergente, suas (inter)relações com a sociedade em rede, os novos usos, plataformas de interação e sociabilidade. Além disso, procura apresentar o lugar da memória diante do audiovisual, dos dispositivos móveis e como esta se reconstitui através da coletividade e laço social.

A organização do dossiê está a cargo de três professores doutores: Prof. Dr. Mario Abel Bressan Júnior (UNISUL), Profª. Dr.ª. Cristiane Finger (PUCRS) e Prof. Dr. Rui Francisco Cádima (FCSH – Universidade Nova de Lisboa).

Fundação Casa de Rui Barbosa Promove o Ciclo de Palestras “Cultura Hoje”

A Fundação Casa de Rui Barbosa recebe, a partir do próximo dia 05 de setembro, o Ciclo de Palestras “Cultura Hoje” com o objetivo de reunir especialistas, pesquisadores e alunos de Pós-graduação das áreas cultural e midiática.

Os eventos serão realizados às 18h na Sala de Cursos da Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB). As inscrições são gratuitas e limitadas e podem ser feitas a partir do envio de email para coloquio.epcc@gmail.com

No dia 05 de setembro de 2018, os pesquisadores da Cátedra Unesco de Políticas Culturais e Gestão (FCRB), Lia Calabre, Alexandre Domingues e Eula Cabral, falarão sobre Políticas Culturais no Brasil.

O tema “Cultura na TV, nos Jogos Eletrônicos e na Literatura Infanto Juvenil será analisado no dia 26 de setembro de 2018 pela escritora e roteirista do Sítio do Picapau Amarelo, Luciana Sandroni; pela diretora do GNT, Lucia Novaes; pela escritora e professora de Programação de Games, Gláucia Lima; e pela professora do PPGMA (FCRB), Eula Cabral.

“Cultura na Mídia Comunitária” é o tema da palestra do dia 17 de outubro de 2018. O debate contará com presença da escritora, pesquisadora e professora da Universidade Federal Fluminense (UFF), Andrea Medrado; com o coordenador do EMERGE, escritor, pesquisador e professor da UFF, Adilson Cabral; e com a professora do Programa de Pós-graduação em Memória e Acervos (PPGMA) da FCRB, Eula Cabral.

“Cultura nas Grandes Redes de comunicação do Brasil” é o mote do debate a ser realizado no dia 24 de outubro de 2018 pelas pesquisadoras Pâmela Pinto, escritora e jornalista do Ministério da Saúde, e Eula Cabral, da FCRB.

No dia 07 de novembro de 2018 será analisada a temática “Cultura e Materialismo” pelo escritor, pesquisador e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), William Braga, e pela professora e pesquisadora Eula Cabral (FCRB).

Para fechar o Ciclo de Palestras “Cultura Hoje” de 2018 será analisado o tema Economia Política da Comunicação e da Cultura pelos pesquisadores da área: Adilson Cabral, coordenador do EMERGE, escritor, pesquisador e professor da UFF; Patrícia Maurício, escritora, pesquisadora e professora da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio); e Eula Cabral, da FCRB.

O Ciclo de Palestras “Cultura Hoje” é uma realização da Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB); Cátedra Unesco de Políticas Culturais e Gestão (FCRB); projeto Economia Política da Comunicação e da Cultura (EPCC/FCRB); Centro de Pesquisa e Produção em Comunicação e Emergência (EMERGE); e do Programa de Pós-Graduação em Memória e Acervos – Mestrado Profissional em Memória e Acervos (PPGMA/FCRB).

A Sala de Cursos da Fundação Casa de Rui Barbosa fica localizada na rua São Clemente 134, no bairro de Botafogo e próxima ao metrô de Botafogo, na cidade do Rio de Janeiro (RJ). Dúvidas e inscrições: coloquio.epcc@gmail.com

Fundação Casa de Rui Barbosa recebe Colóquio sobre Culturas Digitais

 

A Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB) recebe, na próxima quarta-feira (28/08), às 18h; o II Colóquio de Culturas Digitais. O evento acontece na Sala de Cursos da FCRB. A Sala de Cursos da FCRB fica localizada na Rua São Clemente 134, térreo, prédio principal, no bairro de Botafogo (Rio de Janeiro – RJ), perto do metrô de Botafogo.

O objetivo é reunir alunos de Pós-graduação e pesquisadores da área de Culturas Digitais para analisar e debater o campo, criando espaços de interlocução e troca entre pesquisadores e alunos.

No II Colóquio, o tema “Novas tecnologias em tempos de crise” será analisado pelos pesquisadores Paulo Faustino, da Universidade do Porto (Portugal), Renata Tomaz, da Universidade Federal Fluminense (UFF), e Eula D.T.Cabral, da FCRB.

Para participar do II Colóquio de Culturas Digitais é preciso se inscrever, por email, no endereço coloquio.epcc@gmail.com. O evento é gratuito e garante Certificado aos que tiverem confirmadas suas inscrições via e-mail e estiverem presentes no evento.

O Colóquio é uma realização da Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB); Cátedra Unesco de Políticas Culturais e Gestão (FCRB); projeto Economia Política da Comunicação e da Cultura (EPCC/FCRB); Centro de Pesquisa e Produção em Comunicação e Emergência (Emerge); e do Programa de Pós-Graduação em Memória e Acervos – Mestrado Profissional em Memória e Acervos (PPGMA/FCRB).

Saiba mais sobre os Palestrantes

Paulo Faustino – Professor da Universidade de Porto (Portugal) e da Universidade de São José (Macau). Pesquisador do Centro de Estudos de População, Economia e Sociedade (CEPESE) e do Centro de Investigação Media e Jornalismo (CIMJ) – Portugal.
Lattes: http://lattes.cnpq.br/4864749950547958

Renata Tomaz – Professora da Universidade Federal Fluminense (UFF). Vencedora do Prêmio Eduardo Peñuela 2018 na categoria Melhor Tese de Doutorado com o trabalho “O que você ser antes de crescer? – Youtubers, Infância e Celebridades”.
Lattes: http://lattes.cnpq.br/1369317687067736

Eula D.T.Cabral – Professora do Mestrado em Memória e Acervos (FCRB). Pesquisadora do Centro de Pesquisas e Produção em Comunicação e Emergência (EMERGE – UFF) e de Política Cultural – história e perspectivas contemporâneas (FCRB).
Lattes: http://lattes.cnpq.br/1180749525319069

Revista Eptic publica Dossiê sobre “Golpe, Impeachment, Comunicação e a Atual Conjuntura Brasileira”

Em tempos sombrios e de retirada de direitos, a Revista Eptic publica, no segundo número de seu volume 20, o Dossiê “Golpe, Impeachment, Comunicação e a Atual Conjuntura Brasileira”. Coordenado pelo Prof. Dr. Carlos Figueiredo (PPGCOM/UFS), o dossiê conta com oito artigos e uma entrevista com a Profa Dr(a) Maria Eduarda da Mota Rocha (UFPE).

O Golpe Parlamentar de 2016 no Brasil jogou o país em uma conjuntura que demonstra a fragilidade das instituições construídas a partir da redemocratização em 1985 cujo marco jurídico está assentado na Constituição de 1988. Ainda que, como lembra Francisco Oliveira, muitas das promessas contidas na Carta Magna de 1988 não tenham se materializado, elas eram marcos legais a partir dos quais se davam lutas por direitos. Sejam lutas pela universalização de educação e saúde de qualidade, por direito à moradia e à terra ou por comunicação pública.

A destituição da presidenta Dilma Rousseff abriu o caminho para um ataque aos parcos direitos conquistados desde a redemocratização e também ao sonho da implementação das promessas contidas na Constituição de 1988. Ou seja, há claramente um estreitamento do horizonte democrático no pós-golpe, a retirada do que Hannah Arendt chama de o “direito a ter direitos” que nada mais é senão a possibilidade de sonhar com uma democracia ampliada.

Os oito artigos e a entrevista que compõem o Dossiê “Golpe, impeachment,comunicação e a atual conjuntura brasileira” buscam traçar um panorama acerca do momento turbulento por que passa o país a partir de reflexões sobre a Indústria Cultural e a Comunicação. Abrindo o Dossiê, a entrevista concedida pela Profa Dra Maria Eduarda da Mota Rocha oferece uma perspectiva multifacetada dos acontecimentos recentes.

Os artigos desse dossiê podem ser divididos em dois blocos. No primeiro bloco, estão quatro textos focados na análise do papel dos meios de comunicação na destituição de Dilma Rousseff. Análises da cobertura jornalística, das narrativas feitas durante a disputa política pré-golpe e do uso de Sites de Redes Sociais mostram um esforço profícuo dos autores de compreender como foi travada a batalha por consenso durante a crise política que ainda vivemos.

Enquanto o segundo bloco é composto por artigos que buscam compreender as consequências do golpe parlamentar nas políticas de comunicação, cultura e telecomunicações seja nas tentativas de privatizar a infraestrutura de telecomunicações do país, nas mudanças e permanências no uso da verba destinada à propaganda governamental ou na análise do discurso dos ministros da Cultura no governo Temer.

O Dossiê pode ser acessado aqui

OBSCOM/CEPOS disponibiliza download de coletânea de textos apresentados em seu seminário

 

O Grupo OBSCOM/CEPOS disponibilizou para download nesta terça-feira (7) o ebook organizado por Verlane Aragão Santos e Maurício Herrera-Jaramillo contendo uma coletânea da produção intelectual do XV Seminário OBSCOM/CEPOS. O evento teve como tema “Economia Política, Comunicação e Africanidades e aconteceu na Universidade Federal de Sergipe (UFS) em Abril de 2017.

Os textos que compõem o E-book foram apresentados no seminário Obscom/Cepos sob três dinâmicas distintas: mesas de debate e palestra de abertura, o que corresponde aos textos da Parte I do material; sessões de apresentação de trabalhos, no âmbito do III Encontro de Grupos de Pesquisa em EPC, referentes aos textos da Parte II.

A Parte I, intitulada “Africanidades e Epistemologias Contra-Hegemônicas”, permite identificar os recortes e as chaves expostas para o debate realizado a partir da palestra de abertura e das mesas de debate, e que deve se desdobrar com a publicação e socialização dos textos. Esta parte é formada por três textos.

O artigo do professor Muryatan Barbosa (UFABC) intitulado “O decolonial no Brasil: uma ideia fora do lugar?” busca contextualizar os debates sobre raça. O texto “A contribuição do pensamento crítico e da economia política latino-americanos para formação de uma epistemologia contra-hegemônica”, de Ruy Sardinha Lopes (USP/São Carlos) busca em diálogo crítico à ideia de epistemologias do sul, de Boaventura de Sousa Santos, ampliar e qualificar o debate sobre os ditames que impedem a produção de conhecimento autóctone.

O último texto desta parte foi apresentado na Palestra de Abertura do evento, pelo professor moçambicano João Miguel. Em co-autoria com Inácio Júlio Macamo, expõe o projeto ambicioso e bem sucedido de desenvolvimento dos estudos em EPC no país da África.

A Parte II – “Debates atualizados sobre as Indústrias Culturais” – é formada por textos de integrantes e não integrantes dos grupos de pesquisa em EPC, de diferentes níveis de formação, mestrado, doutorado e pós-doutorado, que permitem acompanhar estudos e pesquisas sobre temáticas as mais diversas, das redes sociais ao futebol, da teledramaturgia, passando pela música, chegando ao Museu.

O download do livro pode ser feito aqui

Chamada de Trabalhos para “PráxisJor” está aberta até o dia 7 de agosto

Está aberta até o dia 7 de agosto a chamada de trabalhos para a segunda edição do “PráxisJor – Seminário Internacional Pensar e Fazer Jornalismo”, que acontecerá de 19 a 21 de setembro. O evento, realizado pela Universidade Federal do Ceará em parceria com outras sete instituições acadêmicas do País, ocorre em Fortaleza e tem como tema “Identidade(s) Jornalística(s)”.

Os trabalhos poderão ser apresentados em cinco Grupos de trabalho: “Jornalismo e Trabalho”, “Jornalismo e Gestão”, “Jornalismo e Narrativas”, “Jornalismo e Ética” e “Jornalismo e Formação”. O resultado da avaliação será divulgado no dia 21 de agosto. Os trabalhos completos devem ser enviados de 22 de agosto a 10 de setembro.

Poderão ser apresentadas pesquisas finalizadas ou em andamento. Os resumos estendidos, com mínimo de 4 mil caracteres e máximo de 5 mil, devem ser inéditos e conter o problema e o objeto de pesquisa, autores e referencial teórico utilizado, metodologia e delimitação do corpus. Além disso, devem constar as referências utilizadas e resultados preliminares. O texto deve ser encaminhado para o e-mail do evento (praxisjor.ufc@gmail.com), indicando no assunto do email em qual GT o texto será apresentado.

A ideia é promover um intercâmbio de saberes entre profissionais e pesquisadores. Nesse sentido, serão aceitos resumos de trabalhos assinados por professores e/ou pesquisadores, profissionais, especialistas, estudantes de graduação e pós-graduação.

Para enviar o resumo, não é preciso fazer pagamento. No entanto, para participar do evento, é preciso se inscrever. O período de inscrições inicia em 1º de agosto e segue até 12 de setembro, pelo site do evento. Os valores variam de R$ 60 a R$ 140 reais, de acordo com o tipo de participante: estudantes de graduação e recém-graduados, mestrandos e doutorandos, profissionais, mestres, doutores e pesquisadores.

A organização do seminário é do Grupo de Pesquisa em Práticas Jornalísticas – PráxisJor, fruto da primeira edição do evento, realizada em 2015, que é vinculado ao Curso de Jornalismo e ao Programa de Pós-graduação em Comunicação (PPGCOM) da Universidade Federal do Ceará (UFC).

A edição 2018 do PráxisJor conta com a parceria do Centro de Pesquisas em Comunicação e Trabalho (CPCT-USP), do GEMINI – Grupo de Estudos de Mídia – Análises e Pesquisas em Cultura, Processos e Produtos Midiáticos (UFRN), do Observatório da Ética Jornalística – objETHOS (UFSC), do Grupo Natureza e Transformações do Jornalismo (UnB), do Grupo Jornalismo e Mundo do Trabalho (FIAM-FAAM), Grupo de Pesquisas em Comunicação, Economia Política e Diversidade (Comum-UFPI) e do Grupo de Pesquisa Jornalismo, Conhecimento e Profissionalização – O conhecimento no Jornalismo (UEPG).

INFORMAÇÕES

Chamada de trabalhos

Quando: 22 de junho a 07 de agosto
Envio para: praxisjor.ufc@gmail.com
Quanto: Inscrições de R$ 60 a R$ 140
Para mais informações clique aqui

 

Valores de inscrições

Período 1 – de 1º a 30 de agosto

Estudantes de graduação e recém-graduados (até um ano): R$ 60,00
Mestrandos e doutorandos: R$ 90,00
Profissionais, mestres, doutores e pesquisadores: R$ 120,00

Período 2 – De 31 de agosto até o final do evento

Estudantes de graduação e recém-graduados (até um ano): R$ 70,00
Mestrandos e doutorandos: R$ 100,00
Profissionais, mestres, doutores e pesquisadores: R$ 140,00

Envio dos trabalhos completos

22 de agosto a 10 de setembro

Orientações para resumos estendidos

  • Os textos devem ser enviados em formato Word ou Libre Office.
  • A extensão mínima do resumo é de 4.000 (quatro mil) caracteres e a máxima é de 5.000 (cinco mil) caracteres.
  • Imagens, se utilizadas, devem ser inseridas no corpo do resumo, em formato .jpg ou .png.
  • No resumo, devem ser apresentados o problema e o objeto de pesquisa, autores e referencial teórico utilizado, metodologia e delimitação do corpus. Além disso, devem constar as referências utilizadas e resultados preliminares.
  • Os resumos/artigos devem ser inéditos, isto é, não podem ter sido apresentados em outros congressos e/ou publicados em revistas acadêmicas.
  • Aplicam-se as normas da ABNT à formatação dos resumos.
  • Devem constar título (com rodapé indicando o GT para o qual o trabalho está sendo submetido), subtítulo (quando houver), nome dos autores (com rodapé biográfico indicando titulação, instituição de origem e email), o texto do resumo, 3 a 5 palavras-chave em português brasileiro e referências bibliográficas.
  • O texto deve ser encaminhado para o e-mail do II PráxisJor (praxisjor.ufc@gmail.com), indicando no assunto do email em qual GT o texto será apresentado.

 

Dúvidas poderão ser esclarecidas também através do e-mail praxisjor.ufc@gmail.com.

ULEPICC-Brasil abre chamada de trabalhos para seu 7º Encontro

Está aberta, até 31 de agosto de 2018, a chamada de trabalhos para o VII Encontro Nacional da ULEPICC Brasil 2018 da União Latina da Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura, a ser realizado de 28 a 30 de novembro em Maceió-AL.

Sob o tema geral “Os 30 anos da EPC e o Brasil pós-golpe”, o encontro reunirá estudiosos e pesquisadores do Brasil para discutir a formação e desafios deste campo disciplinar em nossa sociedade, bem como sua contribuição para a construção de um pensamento crítico no campo da Comunicação, da Informação e da Cultura.

Aceita-se trabalhos em duas modalidades: estudantes de graduação enviarão trabalhos para a Jornada de graduandos, com apresentação de pôsteres no evento; e demais pesquisadores a partir das sessões dos grupos temáticos.

Os interessados deverão enviar resumo expandido, de 400 a 500 palavras, salvo em PDF, seguindo as normas do Template_ULEPICC-BR, tendo como nome do arquivo o número do GT (“JG” para Jornada de Graduandos) e o sobrenome do autor ou autores (ex. GT1_SANTOS), para o e-mail ulepicc.br@gmail.com.

O parecer sobre o aceite ou a recusa do trabalho será enviado para o e-mail do autor/autores até duas semanas após o final do prazo de submissão de artigos.

Depois do evento, os coordenadores de GT selecionarão os melhores resumos para publicação como artigo completo em ebook a ser lançado em 2019.

Grupos de Trabalho

GT1 – Políticas de comunicação
Coordenação nacional: Profª. Drª. Eula Cabral (FCRB – MinC)

Ementa: Objetiva estudar as ações de agentes públicos e privados relativas ao processo de regulamentação da mídia em suas diversas fases. Envolve a definição do conjunto de normas, princípios, deliberações e práticas locais relacionadas com a administração, organização e funcionamento do conjunto do sistema comunicacional. Analisa os processos e estratégias locais, regionais e internacionais dos conglomerados de comunicação e seu impacto e influência nos governos e na sociedade. Além disso, a concentração das comunicações e telecomunicações no Brasil.

GT2 – Comunicação pública, popular ou alternativa
Coordenação nacional: Prof. Dr. Fernando Oliveira Paulino (PPG-FAC-UnB)

Ementa: Contempla investigações sobre a comunicação desenvolvida no âmbito dos movimentos sociais, etnoculturais, dos sindicatos e organizações populares em geral, bem como aquela ligada ao serviço público. Aborda todo tipo de comunicação movida por objetivos sociais e de promoção da cidadania, atuantes em oposição à acentuada mercantilização da mídia.

GT3 – Indústrias midiáticas
Coordenação nacional: Prof. Dr. Marcos Dantas (UFRJ)

Ementa: Enfoca a rede institucional dos produtos comunicacionais que ligam a criação, produção, circulação, organização e comercialização de conteúdos de natureza cultural, informativa e de entretenimento. Engloba os processos industriais que envolvem televisão, cinema, rádio, internet, publicidade, produção editorial, indústria fonográfica, design, artes e espetáculos.

GT4 – Políticas culturais e economia política da cultura
Coordenação nacional: Profª. Dra. Verlane Aragão Santos (PPGCOM-UFS)

Ementa: Abriga pesquisas que retratam o papel econômico, político e sociológico que o campo da cultura e das artes assume na sociedade contemporânea. De um lado, engloba discussões sobre a atuação do Estado, da participação da sociedade e do mercado nesta relação, bem como os mecanismos de financeirização da cultura e das artes. De outro, debate a industrialização e mercantilização da cultura e sua implicação na dinâmica atual do capitalismo.

GT5 – Teorias e temas emergentes
Coordenação nacional: Prof. Dr. Carlos Figueiredo (UFS)

Ementa: Acolhe os trabalhos de fundamentação a partir da matriz teórica da Economia Política da Comunicação e da Cultura, suas distintas vertentes e perspectivas metodológicas bem como os estudos comparativos e relacionais entre a Economia Política da Comunicação e outras correntes teóricas da comunicação e de outras disciplinas.

GT 6 – Epistemologia da Informação, da comunicação e da cultura
Coordenação nacional: Prof. Dr. César Ricardo Siqueira Bolaño (PPGCOM/PPUFS)

Ementa: estudos epistemológicos sobre informação, comunicação e cultura; epistemologia da Ciência da Informação, da Comunicação e dos Estudos Culturais; interdisciplinaridade e transdisciplinaridade entre os campos; disputas epistemológicas como disputas políticas, dentro dos campos e entre eles.

GT7- Estudos Críticos em Ciência da Informação
Coordenação nacional: Prof. Dr. Marco Schneider (PPGCI-IBICT/UFRJ e PPGMC-UFF)

Ementa: economia política da comunicação científica; classificações, organização do conhecimento e ideologia; informação, conhecimento e valor; vigilância digital e luta de classes; regime de informação e hegemonia; competência crítica em informação e alienação.

Sobre o evento

O 7º Encontro da ULEPICC-Brasil ocorrerá de 28 a 30 de novembro, no Campus A.C. Simões da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), em Maceió. Sob o tema geral “Os 30 anos da EPC e o Brasil pós-golpe”, o encontro reunirá estudiosos e pesquisadores do Brasil para discutir a formação e desafios deste campo disciplinar em nossa sociedade, bem como sua contribuição para a construção de um pensamento crítico no campo da Comunicação, da Informação e da Cultura.

O evento será composto por 5 (cinco) painéis temáticos e pelas sessões de apresentação de trabalhos, divididas em 7 (sete) grupos de trabalhos (GTs): Políticas de Comunicação; Indústrias Midiáticas; Comunicação Pública, Popular ou Alternativa; Políticas Culturais e Economia da Cultura; Teorias e Temas Emergentes; Epistemologia da Informação, da comunicação e da cultura; Estudos Críticos em Ciência da Informação. A programação inclui ainda um espaço voltado para estudantes de graduação, na modalidade de pôsteres – Jornada de Graduandos.

O pagamento da inscrição deve ser realizado a partir do site da entidade http://ulepicc.org.br/, com mais informações em breve do passo a passo de como proceder. Os valores variam de acordo com algumas categorias, que apresenta-se a seguir:

– Até 20/10
Profissionais, professores e pesquisadores sócios adimplentes da Ulepicc: R$ 100,00
Profissionais, professores e pesquisadores não sócios da Ulepicc: R$ 150,00
Estudantes de mestrado e doutorado sócios adimplentes da Ulepicc:R$ 25,00
Estudantes de mestrado e doutorado não sócios da Ulepicc: R$ 50,00
Estudantes de graduação e especialização: R$ 25,00

* Estudantes atendidos por bolsa social, em suas respectivas instituições de ensino, serão isentos da taxa de inscrição após envio da declaração de isenção e documentação comprobatória para o e-mail ulepicc.br@gmail.com, até o dia 20 de outubro.

– Após 20/10
Profissionais, professores e pesquisadores sócios adimplentes da Ulepicc: R$ 150,00

Profissionais, professores e pesquisadores não sócios da Ulepicc: R$ 200,00
Estudantes de mestrado e doutorado sócios adimplentes da Ulepicc: R$ 50,00
Estudantes de mestrado e doutorado não sócios da Ulepicc: R$ 100,00
Estudantes de graduação e especialização: R$ 50,00

 

Revista Vozes e Diálogos abre Chamadas para Dossiês

A Revista Vozes e Diálogos está recebendo trabalhos para dois dossiês. O Dossiê “Publicidade e as Narrativas Digitais” está com chamada de trabalhos aberta até o dia 31 de agosto de 2018, e será publicado na edição 17(2) com previsão para publicação em dezembro de 2018.

Já o Dossiê “As Interfaces das Histórias em Quadrinhos” recebe trabalhos até o dia 31 de outubro de 2019. A previsão de publicação para a edição 18(1) em que será publicada o dossiê é março de 2019.

Além do dossiê, a revista também aceita artigos sobre outros assuntos na seção Relatos de Pesquisa e Resenhas, estes em fluxo contínuo.

Serão aceitos trabalhos de mestres e doutores. Mestrandos, graduados e graduandos podem submeter contribuições em co-autoria com doutores. Os trabalhos deverão ser inéditos e originais, mas podem ter sido publicados em anais de evento da área, desde que o autor notifique os editores.

Todas as diretrizes para submissão estão aqui

Seguem abaixo as chamadas dos dois dossiês:

2018/2 – Publicidade e as narrativas digitais

A comunicação publicitária, nos últimos quinze anos, tem se transformado e se adaptado de forma muito rápida aos diferentes contextos e cenários midiáticos. Muitos estudos mostram essa adaptação que a publicidade tradicional (anúncio impresso, comercial de televisão etc.) fez ao se transportar, graças à tecnologia, para as redes sociais digitais, ao se engajar melhor com o público, ao utilizar-se da narrativa transmídia em diferentes meios e por estar mais presente com as técnicas de product placement em vídeos em streaming. É nesse sentido que se direcionam os estudos para a chamada da próxima edição da Vozes e Diálogo, com publicação prevista para 2018/2 e que versem sobre o tema: Publicidade e as narrativas digitais.

Prazo para submissão: 31 de agosto de 2018.

Previsão da publicação: dezembro de 2018.

2019/1 – As interfaces das histórias em quadrinhos

As histórias em quadrinhos surgiram no final do século XIX, mas foi somente nas últimas três décadas que passaram a receber a devida atenção por parte da academia. Suas narrativas permitem um intenso diálogo com diferentes áreas do conhecimento. Consideradas como a nona arte, as narrativas em quadrinhos não são mais vistas como mero entretenimento, mas como um objeto de pesquisa potencial no campo da Comunicação Social, seja por meio de suas transposições de mídia, adaptações digitais, por suas intertextualidades ou por suas influências culturais em outros meios. É partir desse cenário que se direcionam os estudos para a chamada da edição da Vozes e Diálogo, com publicação prevista para 2019/1 e que versem sobre o tema: As interfaces das histórias em quadrinhos.

Prazo para submissão: 31 de outubro de 2018.

Previsão da publicação: março de 2019.

Revista Ícone abre Chamada de Trabalho para Três Edições

A revista Ícone (2175-215X) do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco (PPGCOM/UFPE) abre chamada de trabalhos para três dossiês para o número 16 do periódico. As três edições têm previsão de publicação para o segundo semestre do ano de 2018. Artigos de temática livre também se integram às edições

O primeiro dossiê a receber trabalhos é “Internet e Mídias Digitais: Reflexões sobre o Presente, Futuro e Práticas. Os interessados devem enviar trabalhos até o dia 29 de junho de 2018. A edição 16(1) que contará com esse dossiê será publicada em julho de 2018.

Em seguida, a revista publicará na 16(2), em setembro de 2018, o dossiê “O Pensamento por Imagens”, com chamada para trabalhos aberta até o dia 31 de agosto de 2018. A edição 16(3) publicará o dossiê “Publicidade, Engajamento e Causas Sociais” e receberá trabalhos até o dia 30 de novembro de 2018. A previsão para publicação da edição 16(3) é dezembro de 2018.

O periódico conta com novo projeto gráfico-editorial buscando viabilizar melhor legibilidade e valorização das fotografias e ilustrações. A proposta editorial também abrigará temáticas e conexões interdisciplinares com objetivo de discutir problematizações da linguagem, produções e processos midiáticos e suas implicações sociopolíticas, práticas profissionais e relações de poder na Comunicação; bem como fenômenos estéticos como marcas das produções culturais que se manifestam sobretudo através da imagem e do som.

Mais informações podem ser encontradas aqui

As três chamadas podem ser conferidas a seguir:

Dossiê Temático / Special Issue
INTERNET E MÍDIAS DIGITAIS: REFLEXÕES SOBRE O PRESENTE, FUTURO E PRÁTICAS
Edição 16(1), julho de 2018

Editora convidada: Carolina Figueiredo (UFPE)
Submissões de artigos completos até 29 de junho de 2018

Tratadas durante muito tempo nos estudos de comunicação social como novidade, a internet e as mídias digitais, denominadas por muitos autores como novas mídias (MANOVICH, 2000) fazem parte há mais de duas décadas da vida cotidiana dos indivíduos nascidos nos grandes centros urbanos ocidentais. Efetivamente, o século XXI será dos nativos digitais e dificilmente as ciências sociais tratarão de fenômenos que não sejam de alguma forma permeados pela internet e por mídias digitais. Termos como “internet das coisas”, “pervasividade” e “realidade aumentada” que antes pareciam saídos de livros de ficção científica passam a fazer parte do cotidiano dos sujeitos, mesmo que eles ainda não estejam completamente conscientes de tais termos, dos fenômenos e interações relacionados a eles e de suas implicações, não só sociais, mas psíquicas, físicas, econômicas e ambientais.

O programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Universidade Federal de Pernambuco, ao qual a revista Ícone está vinculada, praticamente nasce sob a égide destas discussões. De 1998, quando foi criado, para cá, dissertações, teses, disciplinas, seminários, eventos de diversas naturezas e, inclusive, artigos em edições anteriores da Revista Ícone apontam para esta vocação implícita, por assim dizer, do programa de tratar do digital. Vocação esta que é em parte provocada pelo espírito do tempo e em parte consequência da curiosidade e dos esforços de pesquisa de alunos e professores que integram e integraram o programa.

Este dossiê temático convida pesquisadores a tratarem da internet e das mídias digitais de acordo com seus próprios interesses, corpus de análises e arcabouços teórico-metodológicos, propondo reflexões sobre o presente, indicando possibilidades para o futuro e, sempre que possível, indo além da teorização e apontando para práticas relacionadas às redes, ao digital e suas implicações em diferentes aspectos das sociedades.

Tópicos em potencial
A revista/a editora receberá/considerará contribuições que explorem questões tais como:
– Internet, mídias digitais e suas implicações na contemporaneidade;
– Como a internet e as mídias digitais afetam as práticas em comunicação;
– Reflexões sobre o presente e perspectivas dos usos da internet e das mídias digitais nas atividades comunicacionais;
– Redes sociais digitais, cartografias, controvérsias e afins;
– Internet das coisas, pervasividade, realidade aumentada e afins;
– Formas de socialização através das redes digitais;
– Política, movimentos sociais e cultura nas redes digitais;
– Narrativas, comunicação, verdade, transmidiação e cultura da convergência nas redes.

Dossiê Temático / Special Issue
O PENSAMENTO POR IMAGENS 
Edição 16(2), setembro de 2018

Editor convidado: Eduardo Duarte
Submissões de artigos completos até 31 de agosto de 2018

As imagens e a difícil arte de encontrar formas de entender o que dizem. O século 20 assistiu ao surgimento de diversas epistemologias estruturais que tentaram explicar, descrever, significar as imagens em formas de análise redutoras de sua compreensão. Entretanto, ao longo do mesmo século 20 algumas poucas tentativas epistemológicas também perceberam a capacidade irredutível da imagem, desdobrando sua problemática noutras formas de percepção e compreensão de seus sentidos. A imagem foi pensada em contiguidade com outras, as imagens passaram a apontar sentidos em constelações ou agrupamentos que fazem emergir conteúdos atemporais, como os arquétipos, ou experiências sensíveis enraizadas na história dos diversos contextos em que produziu sentido. Como falar da imagem sem reduzi-la a explicações arbitrárias?

A presente edição da revista Ícone visa conhecer exercícios do Pensamento por Imagens realizados no campo comunicacional brasileiro e internacional. Nosso objetivo com essa chamada é também descobrir autores, campos epistemológicos e conceitos que norteiam o tatear sempre ambíguo da compreensão das imagens.

Dossiê Temático / Special Issue
PUBLICIDADE, ENGAJAMENTO E CAUSAS SOCIAIS
Edição 16(3), dezembro de 2018

Editor convidado: Rogério Covaleski
Submissões de artigos completos até 30 de novembro de 2018

Alguns dos mecanismos estratégicos da publicidade têm passado por significativa revisão, seja no repensar da ideia dominante da mensagem, nos atributos associados à imagem de marca, no posicionamento imutável ou nos valores que lhe concederiam as láureas de uma lovemark (ROBERTS, 2004). Tais ressignificações põem abaixo alguns dos princípios que regeram a atividade publicitária ao longo das últimas décadas, rompendo com paradigmas hegemônicos. Em anos recentes, o discurso social ganhou voz no meio publicitário e a epistemologia do campo reconheceu tais mudanças, inclinando-se sobre “narrativas engajadas” para observar os valores que tomam os discursos de marcas que assumem posicionamentos de caráter social e passam a representar diversidades e a defender causas, mesmo que nem sempre tais bandeiras pareçam plenamente adequadas às suas estratégias comunicacionais, aos seus valores marcários ou ao repertório de seu público, gerando polêmicas e insurgências. De um lado, haverá aqueles que irão se abster de consumir a marca como forma de protesto, promovendo o boycott. De outro, haverá aqueles que flexibilizarão seu consumerismo e irão deliberadamente comprar os produtos de uma empresa em apoio às suas políticas, proporcionando o que se convencionou por buycott. As responsabilidades que cabem à comunicação de uma marca incluem seus stakeholders, acionistas, colaboradores, fornecedores, distribuidores, consumidores e fãs – além da opinião pública e dos órgãos reguladores do setor, naturalmente. Alinhar interesses mercadológicos a causas sociais nem sempre corresponde às crenças dos diferentes atores envolvidos nesse cenário. Entender que efeitos a defesa de causas pode repercutir no capital social e simbólico dessas marcas, seja a partir de um altruísmo genuíno, seja decorrente de um oportunismo pontual são parte dos objetivos de publicação deste dossiê. Aliada às causas em si defendidas, a forma de gerar engajamento do respectivo público a esses discursos solidários está diretamente associada às histórias contadas por essas marcas, em sua forma e conteúdo. Nesse sentido, as narrativas publicitárias contemporâneas que buscam engajar o público às causas defendidas pelas marcas são o objeto de estudo desta edição da revista Ícone.