Anita Simis é a nova coordenadora do GP EPICC da Intercom

anitas (2)

A professora Anita Simis, da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), é a nova coordenadora do Grupo de Pesquisa Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura da Intercom (Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação). Em anúncio nesta semana, a pesquisadora afirma ter como objetivo para sua gestão “ampliar em número de membros e em subgrupos mais articulados que possam inclusive propor pesquisas mais abrangentes”.

O GP de EPICC tem seu histórico na Intercom dividido em duas fases. A primeira de 1992 a 2000, quando se chamava “Economia Política das Tecnologias de Informação, Comunicação e Cultura (EPTIC)”, espaço importante para o desenvolvimento da EPC no Brasil e na Ibero-América que, dentre outras coisas, gerou a Rede EPTIC – incluindo boletim e este portal – e a Revista EPTIC. A segunda começou em 2010, na reestruturação das Divisões Temáticas e grupos de trabalho do evento, tendo desde então como coordenadores: Valério Cruz Brittos (Unisinos), Ruy Sardinha Lopes (USP) e agora Anita Simis (UNESP).

Anita é professora da Graduação e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais pela UNESP – Campus de Araraquara. Sua formação é de bacharel em Ciências Sociais pela USP (1979), com doutorado em Ciência Política também pela USP (1993) e Livre-Docência em Sociologia da Comunicação pela UNESP (2010). Seu trabalho mais conhecido é o livro Estado e Cinema no Brasil, que em 2007 recebeu o Prêmio Rumos Pesquisa: Gestão Cultural oferecido pelo Itaú Cultural e está na 3ª edição. Atua na área de Sociologia da Comunicação, com ênfase em Política Cultural, Política Cinematográfica, Televisão, Rádio, Produção Independente, Indústria Cultural. Tem trajetória acadêmica marcada por uma efetiva participação nas seguintes entidades científicas: Federação Brasileira das Associações Científicas e Acadêmicas de Comunicação (SOCICOM), como Diretora Administrativa (2008-2012) e na União Latina de Economia Política da Informação da Comunicação e da Cultura (ULEPICC-Capítulo Brasil), como presidente (2008-2010).

A pesquisadora enviou a seguinte nota sobre o novo cargo assumido:

Car@s colegas,
              
Com grande satisfação comunico que sou a nova coordenadora do GP Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura, na Intercom.

O trabalho demanda responsabilidade e atenção para com um Grupo que tem uma história e é formado por vocês: pesquisadores importantes de todo Brasil e até mesmo alguns do exterior. Meu objetivo principal será justamente reafirmar a construção de laços sólidos com vocês todos, e novos pesquisadores que venham a se incorporar, e que tenham como instrumento teórico a Economia Política, seja na sua interface com as Comunicações, seja com a Informação e a Cultura.

Minha principal missão será, portanto, primeiramente criar uma estabilidade que possa sustentar um crescimento do número de participantes no GP para que possam se envolver em trabalhos mais articulados, sempre dentro da perspectiva interdisciplinar. Minha experiência como membro do GP nestes anos mostrou que agora o GP está maduro para ampliar em número de membros e em subgrupos mais articulados que possam inclusive propor pesquisas mais abrangentes. Essa última sugestão parte do princípio de que a Intercom consegue agregar pesquisadores dos mais diversos estados e que, portanto, poderiam ser estimulados a mapear questões comuns em suas respectivas regiões. Se frutífera esta proposta, poderá desdobrar-se em publicações que possam contribuir significativamente para o desenvolvimento da pesquisa na área, preenchendo lacunas que nem sempre são reconhecidas ou possíveis de serem preenchidas no âmbito individual da pesquisa.

Por outro lado, um trabalho que foi proposto e realizado pelo meu antecessor na coordenação do GP, Prof. Ruy S. Lopes, e que se mostrou frutífero, foi articular aproximações com grupos de pesquisa já estruturados. Essa aproximação já ocorreu anteriormente, por meio de mesas realizadas com outros Grupos da Intercom – como o de Comunicação Alternativa e Comunitária e Rádio de Mídias Sonoras, e mais, recentemente, por meio do Fórum Eptic, na Intercom de 2015, com o grupo da Profa. Roseli Aparecida Figaro Paulino. Eu mesma tenho trabalhado com um grupo que se ampliou nos últimos anos e que trata da Economia Política do Cinema, mas que ainda pode ser mais estruturado. Creio que abrir sessões com temáticas mais especializadas pode aprofundar o debate e incentivar pesquisas mais orgânicas.

Por fim, outro trabalho desenvolvido e/ou incentivado pelo prolífico Prof. Ruy que pretendo dar continuidade trata da promoção de minicursos e do incremento de canais de comunicação entre os membros do GP. Lembro por exemplo que temos um grupo no Facebook, chamado Discutindo Economia Política da Comunicação, criado e administrado por membros do Grupo, e que no momento conta com 216 membros. Quem ainda não se inscreveu neste grupo, faço aqui o convite para que se incorpore https://www. facebook.com/groups/ discutindoepc/

De forma resumida esta é a minha proposta de trabalho e fico a disposição para qualquer dúvida sobre ela.

Um grande abraço a tod@s,
Anita Simis