Ulepicc-Brasil abrirá chamada de trabalhos para evento nacional

A Ulepicc-Brasil (União Latina da Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura – capítulo Brasil) abre, no próximo dia 15 de dezembro, chamada de trabalhos para o seu VIII Encontro Nacional. Os interessados devem enviar resumos expandidos até 1º de fevereiro de 2020. O evento será realizado entre 13 a 15 de maio na Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), em Ilhéus-BA.

São aceitas duas modalidades de trabalho: estudantes de graduação enviarão trabalhos para a Jornada de Graduandos enquanto os demais pesquisadorxs devem direcionar seus trabalhos para grupos temáticos.

Os Grupos Temáticos da VIII edição do evento são: Políticas de comunicação; Comunicação popular, alternativa e comunitária; Indústrias midiáticas; Políticas culturais e economia política da cultura; Economia Política do Jornalismo; Teoria e Epistemologia da EPC; Estudos Críticos em Ciência da Informação; e Estudos críticos sobre identidade, gênero e raça.

Os interessados deverão enviar resumo expandido, de 400 a 500 palavras, salvo em PDF e seguindo as normas do Template_ULEPICC-BR, tendo como nome do arquivo o número do GT (“JG” para Jornada de Graduandos) e o sobrenome do autorx ou autorxs (ex. GT1_SANTOS_BASTOS), na plataforma doit do evento, que deve ser disponibilizada até o dia 15 de dezembro de 2019.

O formato do texto a ser submetido para a Jornada dos Graduandos será detalhado em outro momento.

O parecer sobre o aceite ou a recusa do trabalho será enviado para o e-mail do autor/autores até o dia 10 de fevereiro.

Ementa de cada GT e outras informações sobre o evento podem ser conferidas aqui

O pagamento da inscrição deve ser aberto em breve, mas os valores variam de acordo com algumas categorias:

– Sócixs adimplentes da Ulepicc-Brasil:

Profissionais, professores e pesquisadores: R$ 120,00

Estudantes de mestrado e doutorado: R$ 30,00

Estudantes de graduação e especialização: R$ 15,00

– Não sócixs:

Profissionais, professores e pesquisadores: R$ 175,00

Estudantes de mestrado e doutorado não sócios da Ulepicc: R$ 60,00

Estudantes de graduação e especialização: R$ 30,00

ULEPICC-Brasil abre chamada de trabalhos para seu 7º Encontro

Está aberta, até 31 de agosto de 2018, a chamada de trabalhos para o VII Encontro Nacional da ULEPICC Brasil 2018 da União Latina da Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura, a ser realizado de 28 a 30 de novembro em Maceió-AL.

Sob o tema geral “Os 30 anos da EPC e o Brasil pós-golpe”, o encontro reunirá estudiosos e pesquisadores do Brasil para discutir a formação e desafios deste campo disciplinar em nossa sociedade, bem como sua contribuição para a construção de um pensamento crítico no campo da Comunicação, da Informação e da Cultura.

Aceita-se trabalhos em duas modalidades: estudantes de graduação enviarão trabalhos para a Jornada de graduandos, com apresentação de pôsteres no evento; e demais pesquisadores a partir das sessões dos grupos temáticos.

Os interessados deverão enviar resumo expandido, de 400 a 500 palavras, salvo em PDF, seguindo as normas do Template_ULEPICC-BR, tendo como nome do arquivo o número do GT (“JG” para Jornada de Graduandos) e o sobrenome do autor ou autores (ex. GT1_SANTOS), para o e-mail ulepicc.br@gmail.com.

O parecer sobre o aceite ou a recusa do trabalho será enviado para o e-mail do autor/autores até duas semanas após o final do prazo de submissão de artigos.

Depois do evento, os coordenadores de GT selecionarão os melhores resumos para publicação como artigo completo em ebook a ser lançado em 2019.

Grupos de Trabalho

GT1 – Políticas de comunicação
Coordenação nacional: Profª. Drª. Eula Cabral (FCRB – MinC)

Ementa: Objetiva estudar as ações de agentes públicos e privados relativas ao processo de regulamentação da mídia em suas diversas fases. Envolve a definição do conjunto de normas, princípios, deliberações e práticas locais relacionadas com a administração, organização e funcionamento do conjunto do sistema comunicacional. Analisa os processos e estratégias locais, regionais e internacionais dos conglomerados de comunicação e seu impacto e influência nos governos e na sociedade. Além disso, a concentração das comunicações e telecomunicações no Brasil.

GT2 – Comunicação pública, popular ou alternativa
Coordenação nacional: Prof. Dr. Fernando Oliveira Paulino (PPG-FAC-UnB)

Ementa: Contempla investigações sobre a comunicação desenvolvida no âmbito dos movimentos sociais, etnoculturais, dos sindicatos e organizações populares em geral, bem como aquela ligada ao serviço público. Aborda todo tipo de comunicação movida por objetivos sociais e de promoção da cidadania, atuantes em oposição à acentuada mercantilização da mídia.

GT3 – Indústrias midiáticas
Coordenação nacional: Prof. Dr. Marcos Dantas (UFRJ)

Ementa: Enfoca a rede institucional dos produtos comunicacionais que ligam a criação, produção, circulação, organização e comercialização de conteúdos de natureza cultural, informativa e de entretenimento. Engloba os processos industriais que envolvem televisão, cinema, rádio, internet, publicidade, produção editorial, indústria fonográfica, design, artes e espetáculos.

GT4 – Políticas culturais e economia política da cultura
Coordenação nacional: Profª. Dra. Verlane Aragão Santos (PPGCOM-UFS)

Ementa: Abriga pesquisas que retratam o papel econômico, político e sociológico que o campo da cultura e das artes assume na sociedade contemporânea. De um lado, engloba discussões sobre a atuação do Estado, da participação da sociedade e do mercado nesta relação, bem como os mecanismos de financeirização da cultura e das artes. De outro, debate a industrialização e mercantilização da cultura e sua implicação na dinâmica atual do capitalismo.

GT5 – Teorias e temas emergentes
Coordenação nacional: Prof. Dr. Carlos Figueiredo (UFS)

Ementa: Acolhe os trabalhos de fundamentação a partir da matriz teórica da Economia Política da Comunicação e da Cultura, suas distintas vertentes e perspectivas metodológicas bem como os estudos comparativos e relacionais entre a Economia Política da Comunicação e outras correntes teóricas da comunicação e de outras disciplinas.

GT 6 – Epistemologia da Informação, da comunicação e da cultura
Coordenação nacional: Prof. Dr. César Ricardo Siqueira Bolaño (PPGCOM/PPUFS)

Ementa: estudos epistemológicos sobre informação, comunicação e cultura; epistemologia da Ciência da Informação, da Comunicação e dos Estudos Culturais; interdisciplinaridade e transdisciplinaridade entre os campos; disputas epistemológicas como disputas políticas, dentro dos campos e entre eles.

GT7- Estudos Críticos em Ciência da Informação
Coordenação nacional: Prof. Dr. Marco Schneider (PPGCI-IBICT/UFRJ e PPGMC-UFF)

Ementa: economia política da comunicação científica; classificações, organização do conhecimento e ideologia; informação, conhecimento e valor; vigilância digital e luta de classes; regime de informação e hegemonia; competência crítica em informação e alienação.

Sobre o evento

O 7º Encontro da ULEPICC-Brasil ocorrerá de 28 a 30 de novembro, no Campus A.C. Simões da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), em Maceió. Sob o tema geral “Os 30 anos da EPC e o Brasil pós-golpe”, o encontro reunirá estudiosos e pesquisadores do Brasil para discutir a formação e desafios deste campo disciplinar em nossa sociedade, bem como sua contribuição para a construção de um pensamento crítico no campo da Comunicação, da Informação e da Cultura.

O evento será composto por 5 (cinco) painéis temáticos e pelas sessões de apresentação de trabalhos, divididas em 7 (sete) grupos de trabalhos (GTs): Políticas de Comunicação; Indústrias Midiáticas; Comunicação Pública, Popular ou Alternativa; Políticas Culturais e Economia da Cultura; Teorias e Temas Emergentes; Epistemologia da Informação, da comunicação e da cultura; Estudos Críticos em Ciência da Informação. A programação inclui ainda um espaço voltado para estudantes de graduação, na modalidade de pôsteres – Jornada de Graduandos.

O pagamento da inscrição deve ser realizado a partir do site da entidade http://ulepicc.org.br/, com mais informações em breve do passo a passo de como proceder. Os valores variam de acordo com algumas categorias, que apresenta-se a seguir:

– Até 20/10
Profissionais, professores e pesquisadores sócios adimplentes da Ulepicc: R$ 100,00
Profissionais, professores e pesquisadores não sócios da Ulepicc: R$ 150,00
Estudantes de mestrado e doutorado sócios adimplentes da Ulepicc:R$ 25,00
Estudantes de mestrado e doutorado não sócios da Ulepicc: R$ 50,00
Estudantes de graduação e especialização: R$ 25,00

* Estudantes atendidos por bolsa social, em suas respectivas instituições de ensino, serão isentos da taxa de inscrição após envio da declaração de isenção e documentação comprobatória para o e-mail ulepicc.br@gmail.com, até o dia 20 de outubro.

– Após 20/10
Profissionais, professores e pesquisadores sócios adimplentes da Ulepicc: R$ 150,00

Profissionais, professores e pesquisadores não sócios da Ulepicc: R$ 200,00
Estudantes de mestrado e doutorado sócios adimplentes da Ulepicc: R$ 50,00
Estudantes de mestrado e doutorado não sócios da Ulepicc: R$ 100,00
Estudantes de graduação e especialização: R$ 50,00

 

V Encontro Nacional da ULEPICC-BR debateu a relação da mídia com o capital financeiro

Na foto Prof. Dr. Adilson Cabral, Prof. Dr. Antônio Magnoni e Prof. Dr. Laurindo Leal Filho, debatendo "Comunicação Publica e Comunitária: a perspectiva das novas mídias", durante o V Encontro Nacional da Ulepicc-Br.

Na foto Prof. Dr. Adilson Cabral, Prof. Dr. Antônio Magnoni e Prof. Dr. Laurindo Leal Filho, debatendo “Comunicação Publica e Comunitária: a perspectiva das novas mídias”, durante o V Encontro Nacional da Ulepicc-Br. Foto: Anderson Santos.

Anderson Santos, para o Portal Eptic

Seguindo o processo iniciado com a I Jornada de Doutorandos, em 2008, o capítulo Brasil da União Latina de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura (ULEPICC-BR) realizou no dia 26 de dezembro o Fórum CEPOS/NIEG, como pré-encontro do seu evento nacional, que ocorreu na Universidade Federal do Rio de Janeiro. O tema do espaço foi “Mídia e Capital Financeiro: quando o jornalismo econômico é o discurso de legitimação” e contou com as participações dos professores Bruno Lima Rocha (ESPM/UNISINOS/UNIFIN), César Bolaño (UFS) e Alain Herscovici (UFES).

Líder do Núcleo Interdisciplinar de Estudos da Globalização Transnacional e da Cultura do Capitalismo (NIEG/CEPOS), organizador do Fórum, Bruno fez uma retrospectiva dos debates e dos resultados da pesquisa realizada no interior deste núcleo de estudos.

A análise do NIEG parte da responsabilização da atual “crise” financeira, iniciada com a bolha imobiliária nos Estados Unidos em 2007 e que se alastrou pelos países europeus nos anos seguintes, com reflexos sobre a economia mundial. Entendendo a participação de alguns atores ocupando cargos de poder na esfera econômica mundial, defende-se a ideia de que eles criaram maneiras de se beneficiar com o que viria a seguir, conformando uma fraude, não uma crise. Apesar disso, o jornalismo econômico mundial optou por omitir as causas, apontando só as consequências.

Na sua fala, Bruno tratou do trabalho de análise das capas da revista The Economist, uma das principais referências econômicas do mundo, publicadas em 2008, que deu origem a um artigo científico. Além dele, citou o livro “Desvelando a farsa com o nome de crise: uma análise do capital financeiro pela economia política”, organizado por ele e por Anderson David G. dos Santos, publicado em 2014, que traz artigos com análises gerais sobre a tomada de posições e a escolha de agentes importantes de governos, como também trabalhos mais específicos ligados à Comunicação.

César Bolaño, pioneiro nos estudos em Economia Política da Comunicação no Brasil, trouxe contribuições ao debate afirmando que a grande mídia internacional faria parte da hegemonia global, estando para além de um quarto poder, por circular em todos eles.

César apontou também a necessidade de pensar os elementos contemporâneos para além da perspectiva econômica, tendo como referência o fato de a dominância do sistema financeiro internacional ser extremamente destrutiva e esta ser baseada no trânsito de informações e no respectivo desenvolvimento das Tecnologias de Informação e Comunicação.

Coordenador do Grupo de Estudos em Economia, da Cultura, da Informação, do Conhecimento e da Comunicação (GECICC/UFES), Herscovici centrou a sua apresentação na importância de os estudos de Economia passarem a olhar ao fator informacional, fundamental para o funcionamento do sistema capitalista sob a sua atual forma. Segundo ele, 60% da produção social não estariam no cálculo do Produto Interno Bruto (PIB) mundial.

Assim, o pesquisador apontou a importância do valor do produto cultural, com os demais bens também não possuindo um valor intrínseco, demonstrando a cada vez maior importância do capital cognitivo, da patente e da propriedade intelectual. O valor passaria a depender de uma série de convenções, como a construção e evolução da internet comprovam.

A partir disso, Herscovici foi à direção dos comentários anteriores para indicar que o papel dos grandes grupos comunicacionais é o de manter as assimetrias, naturalizar a ideia de que poucos devem ganhar muito.

ULEPICC-BR e os pré-encontros

Em 2008, os encontros do capítulo Brasil da ULEPICC passaram a ter pré-eventos. Naquele ano, ocorreu a I Jornada de Doutorandos em EPC; repetida na edição seguinte, em 2010, mas acrescida de um evento em paralelo, o debate “Políticas públicas e pluralidade na comunicação e na cultura”, organizada por pesquisadorxs do Brasil e da Argentina.