Chamada para dossiê “Tecnopolíticas e Vigilância”

ecoposEstão abertas as chamadas de trabalhos para os dossiês “Tecnopolíticas e Vigilância” e “As Formas do Artifício” da Revista ECO-Pós. Os deadlines para as edições são: 22 de maio e 7 de agosto, respectivamente.

A Revista ECO-Pós (Quaslis B1 – CSA1) é publicada pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO/UFRJ) e aceita textos para as seções Dossiê e Perspectivas de doutores ou em coautoria com doutores. Essa exigência não se aplica a Resenha. A seção Perspectivas recebe artigos em fluxo contínuo. Mais informações no site da Revista: http://revistas.ufrj.br/index.php/eco_pos

18.2 – Tecnopolíticas e Vigilância

A presença cada vez mais intensa de tecnologias de vigilância no cotidiano das grandes cidades vem sendo acompanhada por um amplo espectro de movimentos sociais e um crescente interesse por debates públicos, seja por meio de pesquisas acadêmicas, seja através de discussões sobre novas legislações. A edição 18.2 da Revista ECO-Pós contemplará contribuições interessadas em analisar as relações entre vigilância, tecnologia e sociedade, privilegiando os seguintes eixos temáticos: história e futuro da vigilância e do controle social; vigilância, imperialismo e capital global; vigilância, protestos políticos e movimentos sociais; vigilância e tecnopolítica: conceitos, metodologias e estudos de caso; mídias sociais e espaços urbanos; Big Data, vigilância e tecnopolítica; Smart Cities e sistemas de segurança integrados; Web, Deep Web e Internet das Coisas; ativismo e contra-vigilância; práticas artísticas e estéticas da vigilância; vigilância móvel e wearable; Snowden, NSA e vigilância de massa; a questão da privacidade, dados pessoais e controle da informação; vigilância e práticas de consumo; tecnologias de auto-monitoramento e controle; legislação e regulação da vigilância e proteção de dados.

Editora convidada: Fernanda Bruno (ECO-UFRJ)

Prazo de submissão: 22 de maio. 

18.3 – As Formas do Artifício

O artifício é uma categoria conceitual, analítica, sociohistórica e estética, que, assumindo diversas formas, articulando diferentes saberes e produtos culturais e atuando na mediação entre estes e a vida material, vem ganhando um destaque cada vez maior nos campos das artes e da comunicação. A edição 18.3 da Revista ECO-Pós contemplará contribuições interessadas em estudar as diversas formas do artifício, privilegiando aquelas que abordarem os seguintes eixos: o artifício nas artes; estilização, formalismo e artifício; artifício e melancolia; artifício, realismo e o Real; estéticas, poéticas e políticas do artifício e do frívolo; o  lugar do entretenimento e do conceito de sensibilidade na teoria da cultura contemporânea; as hierarquias entre cultura erudita, cultura popular e cultura massiva; a cultura midiática e de consumo; afetação, teatralidade e performance na constituição de personagens, práticas e identidades; a crítica pop; o universo sensível do pop; a noção de nostalgia e a sensibilidade nostálgica; o camp, o kitsch, o trash e o brega; o clichê; a questão da ironia como um signo de resistência,  o supérfluo na comunicação do político, a cibercinefilia e o cosmopolitismo midiático.

Editor convidado: Denílson Lopes (ECO-UFRJ).

Prazo de submissão: 7 de agosto.