“Comunicação, Informação e Cultura”, segundo volume da Biblioteca Eptic, está disponível para download

O livro “Comunicação, Informação e Cultura”, organizado por Othon Jambeiro, César Bolaño e Valério Brittos, está disponível para download gratuito no Repositório Institucional da Universidade Federal da Bahia.

A Obra é o segundo volume da coleção Biblioteca Eptic. O livro conta com artigos de César Bolaño e Marcos Castañeda, Anita Simis, Othon Jambeiro, Valério Brittos e William Dias Braga, e pode ser baixado aqui.

A Biblioteca EPTIC – Biblioteca de Economia Política das Tecnologias da Informação e da Comunicação – constitui-se como um espaço de reflexão sobre o campo midiático, alinhado com metas de pluralidade e democracia, buscando somar colaborações às pesquisas de Programas de Pós-Graduação em Comunicação, assim como de Ciências Sociais, Economia, Ciências da Informação e Ciência Política, dentre outros.

Esta dinâmica, focada especialmente na Economia Política da Comunicação (EPC), objetiva participar do processo de construção de novas pontes comunicacionais mais públicas e pluralistas, sendo projetada como numa instância de fomento à comunidade acadêmica – e mesmo à sociedade civil – para refletir sobre a conexão capitalismo e indústrias culturais.

Trata-se de uma iniciativa vinculada à Rede de Economia Política das Tecnologias da Informação e da Comunicação (EPTIC), que desde 1999 vem aglutinando pesquisadores espalhados entre os diversos continentes em torno da discussão acadêmica, desenvolvimento de projetos e viabilização de lugares de socialização do debate. A EPTIC é ligada ao Observatório de Comunicação (OBSCOM), atual Obscom/Cepos, espaço criado em 1995.

“Comunicação, Hegemonia e Contra-Hegemonia”, terceiro volume da Biblioteca Eptic, está disponível para download

O livro “Comunicação, Hegemonia e Contra-Hegemonia”, organizado por Othon Jambeiro, Valério Brittos e Álvaro Benevenuto Jr., está disponível para download gratuito no Repositório Institucional da Universidade Federal da Bahia.

A Obra é o terceiro volume da coleção Biblioteca Eptic. O livro conta com artigos de Armand Mattelart, César Bolaño, Anita Simis, Othon Jambeiro, Valério Brittos e Álvaro Benevenuto Jr, e pode ser baixado aqui.

A Biblioteca EPTIC – Biblioteca de Economia Política das Tecnologias da Informação e da Comunicação – constitui-se como um espaço de reflexão sobre o campo midiático, alinhado com metas de pluralidade e democracia, buscando somar colaborações às pesquisas de Programas de Pós-Graduação em Comunicação, assim como de Ciências Sociais, Economia, Ciências da Informação e Ciência Política, dentre outros.

Esta dinâmica, focada especialmente na Economia Política da Comunicação (EPC), objetiva participar do processo de construção de novas pontes comunicacionais mais públicas e pluralistas, sendo projetada como numa instância de fomento à comunidade acadêmica – e mesmo à sociedade civil – para refletir sobre a conexão capitalismo e indústrias culturais.

Trata-se de uma iniciativa vinculada à Rede de Economia Política das Tecnologias da Informação e da Comunicação (EPTIC), que desde 1999 vem aglutinando pesquisadores espalhados entre os diversos continentes em torno da discussão acadêmica, desenvolvimento de projetos e viabilização de lugares de socialização do debate. A EPTIC é ligada ao Observatório de Comunicação (OBSCOM), atual Obscom/Cepos, espaço criado em 1995.

Texto sobre Trabalho e Comunicação de César Bolaño está Disponível na Biblioteca Eptic

O artigo de César Bolaño “Trabalho intelectual, comunicação e capitalismo. A reconfiguração do fator subjetivo na atual reestruturação produtiva” foi recuperado e está no acervo da biblioteca Eptic.

Publicado na revista da Sociedade Brasileira de Economia Política em 2002, o texto trata das relações entre trabalho e comunicação após a reestruturação produtiva ensejada pela terceira revolução industrial a partir da década de 1970 com especial atenção para o conceito marxiano de subsunção do trabalho intelectual. O acervo da revista conta apenas com os volumes publicados a partir de 2013.

O texto está disponível para download aqui.

Editora da UFBA disponibiliza gratuitamente obras de César Bolaño sobre Celso Furtado

A Editora da UFBA disponibiliza para download gratuito duas obras de César Bolaño (uma como autor e outra como organizador) envolvendo a temática da cultura a partir da teoria do desenvolvimento de César Furtado.

Celso Furtado é considerado um dos pais da Economia Política Brasileira e escreveu obras fundadoras do pensamento social brasileiro como “Formação Econômica do Brasil” e “Economia e Política do Desenvolvimento Econômico”.

As obras são “O Conceito de Cultura em Celso Furtado” – que pode ser encontrado aqui – em que Bolaño trabalha o conceito de cultura presente nas obras de Furtado, dando especial atenção ao conceito de criatividade do autor brasileiro, e “Cultura e Desenvolvimento: Reflexões à luz de Celso Furtado” livro organizado por César Bolaño com textos de vários autores e que está disponível aqui.

“A Dialética do Gosto” analisa o gosto musical a partir da EPC e pode ser baixado gratuitamente

A editora Circuito disponibilizou o download gratuito do livro “A dialética do Gosto: Informação, Música e Política” de Marco Schneider. Partindo do marco teórico-metodológico da Economia Política da Comunicação (EPC), a obra analisa um objeto pouco comum nos estudos marxistas de comunicação: o gosto musical. O download da obra pode ser feito gratuitamente aqui.

Marco Schneider é pesquisador titular do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), professor do Programa de Pós Graduação de Ciências da Informação do Ibict/Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGCI-Ibict/UFRJ), Professor do curso de jornalismo da Universidade Federal Fluminense e do Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano da Universidade Federal Fluminense (PPGMC/UFF).

Pesquisadora da Economia Política das Comunicações lança livro sobre Comunicações e Crise

A professora da Universidade Federal do Ceará (UFC), Helena Martins, acaba de lançar a obra Comunicação em Tempos de Crise: Economia e Política pela editora Expressão Popular. A autora analisa a concentração midiática e suas consequências para a formação de visões de mundo e manutenção da hegemonia ideológica burguesa.

Martins usa como marco teórico a Economia Política da Comunicação e os escritos sobre hegemonia de Antônio Gramsci. A obra perpassa diversos temas como os monopólios nos setores das telecomunicações, radiodifusão e sites de redes sociais e as possibilidades de luta contra-hegemônicas A obra integra a coleção Emergências, fruto de parceria entre a editora Expressão Popular e a Fundação Rosa Luxemburgo.

O livro físico está disponível para a venda aqui. Também é possível adquirir o livro eletrônico gratuitamente aqui.

 

 

Disponível para ser baixado livro sobre jornalismo online na perspectiva da EPC

Está disponível para ser baixado gratuitamente no site da Editora UFS o segundo volume da obra Economia Política da Internet, agora dedicada ao Jornalismo Online. O livro foi escrito em coautoria pelos pesquisadores César Bolaño, Paulo Vinícius Menezes, Alain Herscovici, Valério Brittos, Fabio Moura e Eloy Vieira, no âmbito do Observatório de Economia e Comunicação (OBSCOM-CEPOS) da Universidade Federal de Sergipe.

O primeiro volume, que circula apenas impresso, é de 2007, mas teve uma segunda edição em 2011, quando foi incorporado à coleção Biblioteca EPTIC. Ele contava com uma perspectiva geral, ao tratar da problemática da convergência e da economia da Internet.

O volume 2 é o décimo livro publicado pela coleção Biblioteca EPTIC e o primeiro no formato online. Ambos são fruto da pesquisa sobre o tema que o OBSCOM vem desenvolvendo desde os anos 1990 e conta com textos de César Bolaño, o coordenador do OBSCOM, de seus alunos e dos convidados Valério Brittos (em memória) e, mais uma vez, Alain Herscovici (UFES), que já contribuíra no volume 1.

 Além do acompanhamento da história da rede, até os primeiros anos da década de 2010, e do capítulo teórico escrito por Bolaño e Herscovici conjuntamente, há um capítulo longo sobre jornalismo online. O estudo presente neste volume sobre jornalismo online deve, assim, deixar claro como esses diferentes níveis de abordagem se entrecruzam. Na verdade, esta classificação não se define em termos conceituais, no sentido forte da expressão, tratando-se antes de uma lista de noções simples e flexíveis, proteicas, pode-se dizer, com uma finalidade essencialmente prática, de orientar as pesquisas individuais e esclarecer os diferentes níveis de abstração em que as categorias da EPC e de outros campos e subcampos do conhecimento se articulam.

A diferença entre a primeira e esta edição, que saiu com atraso, não prejudica a leitura, pois trata-se justamente de um intento de acompanhar ao longo do tempo a evolução histórica da economia da Internet, bem como, construir um quadro teórico e analítico em permanente aperfeiçoamento.

Baixe o livro no site da Editora UFS, indo até o final do processo de compra, ainda que a obra esteja disponível de forma gratuita: http://www.livraria.ufs.br/produto/economia-politica-da-internet-jornalismo-online/

 

Industria Cultural, Información y Capitalismo

industriaculturalinformacaoecapitalismo_bannerNas últimas décadas, a globalização e a revolução das novas tecnologias marcaram um antes e um depois na forma de articulação do poder, configurando-se como uma força motriz do novo modelo de capitalismo tardio – a hipótese avançada por Marx, em que o próprio sujeito torna-se o processo de produção de capital mais valioso fixo, e onde o trabalho abstrato – hoje concebido como “intelecto geral”. Atividade criativa, neste novo contexto, ganha um novo papel estratégico, gerando valor e permitindo o desenvolvimento e sustentabilidade do capitalismo contemporâneo.

César Bolaño lida com a compreensão do papel produtivo da comunicação e seu papel fundamental na Era do Capitalismo. A partir da Economia Política da Comunicação, Bolaño propõe uma perspectiva de pesquisa capaz de transcender as fronteiras convencionais do modelo economicista, e capaz de problematizar o fenômeno da indústria cultural e da apropriação pelo sistema durante todo o ciclo do trabalho imaterial . Este trabalho nos convida a refletir sobre o novo papel dos produtores culturais e repensar a relação entre trabalho e valor, a partir de um rigor conceitual que vai abrir novos caminhos para a construção das respostas que requer nosso tempo. Com um prefácio de Francisco Sierra na edição espanhola.

Para informações da Edição em Português, acesse: Indústria Cultural, Informação e Capitalismo

Mercado Brasileiro de Televisão

mercadobrasileirodetv_bannerQuando foi lançada a primeira edição, em 1988, de Mercado Brasileiro de Televisão, do professor de Economia da UFS César Ricardo Siqueira Bolaño, o livro já nascia clássico. Resultado de sua dissertação de mestrado pela Unicamp, o primeiro trabalho de César Bolaño, inédito no Brasil e um dos primeiros publicados na América Latina, foi um marco para a criação de uma disciplina, fundada no Brasil por ele mesmo, inclusive na Universidade Federal de Sergipe (UFS), onde leciona, que se denominou na década de 90 de Economia da Comunicação e da Cultura.Mercado Brasileiro de Televisão volta ao cenário acadêmico em edição revista e ampliada e será relançado nesta quinta-feira, 17 de fevereiro, às 19 horas, no auditório da Reitoria da UFS.

Paralelo ao lançamento de Mercado Brasileiro de Televisão, será apresentada ao público a versão em português do Portal Eptic, rede interdisciplinar de pesquisadores de Economia Política das Tecnologias da Informação e da Comunicação. A noite de lançamento será aberta com uma apresentação do livro pelo autor, seguido de um debate. Durante o coquetel, uma session com Pedrinho Mendonça e o grupo Membrana.

CO-EDIÇAÕ – A obra publicada agora em conjunto pela editora da UFS e a editora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (EDUC) mantém o aspecto original de pesquisa, atualizada até o ano de 2000. Alia a história da evolução do sistema comercial brasileiro de televisão a uma análise crítica interdisciplinar. Na primeira edição, em 1988, Bolaño já falava da TV segmentada no Brasil, processo que ganha contornos somente a partir de 1995. O desenvolvimento dessa indústria é o elemento inteiramente inédito acrescentado ao livro, que o autor chama, na terceira parte, de Fase da Multiplicidade de Oferta.

Mas não se deve confundir multiplicidade de oferta com processo de democratização dos meios de comunicação no Brasil. Muito pelo contrário, o monopólio da TV Globo continua imbatível, apesar da crise da holding que engloba uma multiplicidade de investimentos em diversos setores. Na visão do professor Valério Brittos (Unisinos), que faz o prefácio do livro, César Bolaño não se inscreve entre as posições ufanistas que vislumbram horizontes democráticos advindos diretamente da tecnologia.

A presença da televisão no capitalismo, investigação sobre o audiovisual, convergência tecnológica, concentração empresarial, além de diversos outros assuntos estão focados na obra com rigor teórico e analítico. César, que atualmente é coordenador do portal na Internet Eptic, hoje o mais importante espaço de interlocução internacional entre os pesquisadores de Comunicação, é “um intelectual de vanguarda”, nas palavras de Gilson Schwartz, que escreve a orelha. Ainda nas apresentações do livro, o professor Alain Herscovici fala da importância da obra refletindo sobre a autonomia da disciplina Economia Política da Comunicação.

César Bolaño também é autor de Indústria Cultural, Informação e Capitalismo, resultado de sua tese de doutorado pela Unicamp. Publicado pela editora Hucitec, em 2000, o livro terá uma versão em castelhano neste ano.