Industria Cultural, Información y Capitalismo

industriaculturalinformacaoecapitalismo_bannerNas últimas décadas, a globalização e a revolução das novas tecnologias marcaram um antes e um depois na forma de articulação do poder, configurando-se como uma força motriz do novo modelo de capitalismo tardio – a hipótese avançada por Marx, em que o próprio sujeito torna-se o processo de produção de capital mais valioso fixo, e onde o trabalho abstrato – hoje concebido como “intelecto geral”. Atividade criativa, neste novo contexto, ganha um novo papel estratégico, gerando valor e permitindo o desenvolvimento e sustentabilidade do capitalismo contemporâneo.

César Bolaño lida com a compreensão do papel produtivo da comunicação e seu papel fundamental na Era do Capitalismo. A partir da Economia Política da Comunicação, Bolaño propõe uma perspectiva de pesquisa capaz de transcender as fronteiras convencionais do modelo economicista, e capaz de problematizar o fenômeno da indústria cultural e da apropriação pelo sistema durante todo o ciclo do trabalho imaterial . Este trabalho nos convida a refletir sobre o novo papel dos produtores culturais e repensar a relação entre trabalho e valor, a partir de um rigor conceitual que vai abrir novos caminhos para a construção das respostas que requer nosso tempo. Com um prefácio de Francisco Sierra na edição espanhola.

Para informações da Edição em Português, acesse: Indústria Cultural, Informação e Capitalismo